14/08/2019

Livros: Ted Bundy - Um estranho ao meu lado

Foto: instagram

Título: Ted Bundy - Um estranho ao meu lado 
Autora: Ann Rule
Editora: Darkside
Ano: 2019
Páginas: 592
Sinopse: Quando Ann Rule conheceu Ted Bundy em um centro de atendimento de prevenção ao suicídio, ela não fazia ideia de que aquele rapaz  simpático e inteligente - que sentava ao lado dela e de quem até chegou a receber um cartão de Natal - se tornaria um dos serial killers mais proeminentes da história.
Ted Bundy confessou ter matado ao menos 36 mulheres nos Estados Unidos durante os anos 1970. Para estudiosos do caso, a contagem final é ainda maior. Ele pode até ter salvado vidas pelo centro de prevenção, mas ceifou outras dezenas quando ninguém estava olhando. Inúmeras famílias ficaram sem respostas, e ele foi executado em 1989 na cadeira elétrica. Mas estas informações todo mundo conhece. Chegou a hora de saber mais.
Ted Bundy: Um estranho ao meu lado é o livro de true crime mais aguardado pelos darksiders e chega como um clássico na coleção Crime Scene, da DarkSide Books. Ann Rule - que teve uma extensa carreira publicando livros e reportagens sobre casos criminais -, divide uma experiência que ninguém, em sã consciência, gostaria de ter: a proximidade com um serial killer e a descoberta de sua verdadeira face.
Em Ted Bundy: Um estranho ao meu lado, mergulhamos nas memórias de Rule através de um viés inusitado e assustador. Após mudar de emprego e começar a cobrir casos criminais, Rule se viu diante de um mistério envolvendo mortes consecutivas de mulheres, até que, anos depois, quando estava escrevendo um livro sobre essas mesmas vítimas, a verdade veio à tona.
Rule levou anos para aceitar e assimilar o fato de que o homem que havia causado tanto horror era o mesmo com quem havia passado sozinha os turnos da noite no trabalho. Em 2003, em uma entrevista ao Houston Chronicle, ela afirmou: "Por muito tempo eu nutri esperanças de que ele fosse inocente, de que de, de alguma forma, isso tudo não passasse de um erro terrível." Sua experiência alterou drasticamente seu projeto: ela não mais estava escrevendo sobre um assassino misterioso, e sim sobre alguém que havia conhecido pessoalmente.
Equilibrando sua vivência pessoal cheia de descrenças, temores e conflitos e seu papel como repórter investigativa, Rule explora a dualidade de Bundy com uma intimidade ímpar. De um lado, um homem charmoso e carismático que dividia planos sobre reconquistar uma antiga namorada; de outro, um psicopata que nutria um ódio fervoroso por mulheres e vivia uma vida de mentira.
O clássico best-seller de Ann Rule é o olhar mais profundo e detalhado sobre Ted Bundy que um leitor de veia investigativa irá encontrar. E em 2019 ainda estreia o filme Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile, com Zac Efron e Haley Joel Osment no elenco, narrando a história de Bundy a partir da perspectiva de Elizabeth Kloepfer, a namorada de longa data do psicopata; e também a série documental Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy, com gravações de áudio do próprio Bundy feitas no corredor da morte.
Ainda acha que conhece bem todas as pessoas que convivem com você? Pense de novo. Algumas verdades moram nas profundezas e, às vezes, só conseguimos ver aquilo que os outros querem nos fazer enxergar. 

Resenha:  O livro começa com uma breve introdução da autora, onde ela da um resumo sobre os encontros com Ted, o quanto foi difícil ter ele como um de seus casos para escrever e responde perguntas frequentes sobre o mesmo.

Depois da contextualização, entramos para uma linha do tempo, desde da infância de Bundy, o encontro com Ann Rule, seus primeiros crimes, suas prisões e até sua sentença. Extremamente rico em detalhes, tanto em relação aos acontecimentos com ele como os sentimentos da autora, alguns capítulos até tentam dar uma explicação pelo o que ele fez.

A autora trouxe um assunto tão duro de ser falado como as suas vitimas, a maneira que morreram, de um jeito muito humanizado, além da figura do Ted, ainda que sem romantizá-lo como em outros filmes/livros/reportagens sobre o criminoso. Ela ainda explica sobre ele não ser um gênio como todos falam, ele apenas era uma pessoa inteligente, falando em questão de seu QI.

Temos acesso a algumas cartas de Bundy para a autora, onde nos ajuda a construir o tipo de pessoa que ele era e como seu "humor" vai criando diferentes formas durante os anos, como se existisse vários Teds com quem Ann conversasse.

Por mais que se trate de um livro pesado, a leitura foi muito rápida para mim porque ele me prendeu. Sugiro que leia ele antes de ver os filmes e documentário, o que eu não fiz, pois dá um olhar mais detalhado e totalmente diferente do que os outros universos.

Vale lembrar que Ann Rule nunca fora namorada de Ted, como muitos confundiram por muito tempo, portanto, o olhar dela no livro e o olhar de Meg no filme Extremely wicked shockingly and evil são duas coisas diferentes e que se complementam ( mesmo que o filme não seja tão completo quanto o livro ).

Eu nunca fui sensível a esse tipo de conteúdo, porém confesso que tive diversos pesadelos com Bundy enquanto li esse livro, ainda assim é um indispensável ler e aprender com todas essas mulheres como o perigo pode estar do nosso lado e que todo cuidado é necessário! Foi uma experiência incrível e diferente ler, foi meu primeiro livro de True Crime, mas com certeza não será o último, abriu um leque que não tinha me aprofundado ainda.

24/07/2019

Livro: Bell Tashi - O novo mundo

Foto: instagram

Título: Bell Tashi - O novo mundo 
Autora: G. Sebem Gugiel
Ano: 2019
Páginas: 354
Sinopse: A árvore mágica do novo mundo nasceu.
Tempos atrás a desordem reinou como o grande imperador. Os antigos governantes chegaram ao ponto de destruir o planeta e Conok precisou agir. Ele liberou sete poderes aos seres humanos, os sete novos governantes foram escolhidos para restaurar a paz na terra, porém, todos se perderam em meio a ganância, orgulho e maldade que estava escondida dentro de si.
A fome e a sede dominaram o mundo e milhões de pessoas morreram por essas causas, enquanto os sete eleitos tinham do bom e do melhor, controlando o mundo como uma marionete em seu show de horrores.
Em um mundo onde o clichê é inexistente, nosso mundo foi tomado pelas trevas e perdas incontáveis acontecerão. Bell, Tashi e Merlin surgem em meio a um mundo destruído, onde sete governantes que controla, absolutamente tudo, roubaram nossa tecnologia, alimentos e tudo que conquistemos nas últimas décadas.
Quando parecia que tudo melhorava, uma tragédia sem precedentes abala o planeta e nossos heróis.
Clãs, guildas, famílias, grupos, guerreiros, magos e muitas raças entraram no duelo pelo poder e na sobrevivência ao "Apocalipse".
Tudo se tem início no encontro de Merlin, Tashi e Bell. Em meio a paixões e romances, um novo trio está formado para agitar o olho do furacão do novo mundo.
Outra aventura como essa, nunca mais existirá.

Resenha: O livro começa com Bell e Tashi, dando uma introdução no que acontece no mundo atual, quais as ambições de ambos e mostrando o quanto são divertidos e unidos. Ambos embarcam numa aventura atrás de um unicórnio, que haviam ouvido em uma das histórias no seu bairro, onde nesta encontram com Merlin. Merlin é um espartano com poderes mágicos e logo se dão bem, embarcando junto com o jovem em sua embarcação.

Mais tarde, descobrem um conflito e entre meio da luta e a recepção de um novo lugar, descobrem que fazia parte de uma grande luta, uma prova que Merlin participaria contra um oponente temido e renomado por muitos, Akur.

O resultado da luta é intrigante, mas esse é o menor dos problemas dos jovens. Após retornarem para sua casa e Merlin continuar com sua navegação, um dos sete governantes o desafia. A grande luta chega!

Bell Tashi é um livro de simples leitura, com personagens cativantes. Particularmente achei as lutas extensas demais, porém isso faz com que você tenha mais detalhes das emoções durante a mesma, como se estivesse dentro dela.

As páginas passam muito rápido, contudo, houve partes em que tive um "bloqueio" por falta de aprofundamento nos personagens.

O livro em si passa uma linda mensagem sobre amizade, compromisso, esperança e sobre resistir. Tem um compilado de frases que inspiram, muito lindo, de fato!

Adquira o livro na Amazon: Bell Tasha - O novo mundo

*este post é uma parceria*

17/07/2019

HQ: Motoqueiro fantasma cósmico

Foto: instagram

Título: Motoqueiro fantasma cósmico
Roteiro: Donny Cates
Arte: Dylan Burnett
Cores: Antonio Fabela
Letras: Clayton Cowles
Editoria: Jordan D. White
Editora original: Marvel Comics
Data original de publicação: julho a novembro de 2018
Páginas: 112

Resenha: Frank Castle morre nos quadrinhos anteriores, fazendo um acordo para voltar a vida com o objetivo de se vingar de Thanos. Contudo, ele enlouquece e quando Galactus chega, se oferece a ajudá-lo, onde ele ganha poderes cósmicos e os dois passam a caçar Thanos. Entremeio essa luta, Thanos acaba convencendo Castle de ir para seu lado.

O justiceiro encontra com Odin, escolhendo ser levado até um tempo depois do nascimento de Thanos, com a intenção de resolver de maneira simples o problema: acabar com a raiz do problema. Entretanto, Frank decide educá-lo ao invés de matá-lo, pensando que poderia mudar o futuro do pequeno roxo.

Nesse ponto, chega uma versão futurista e muito louca dos guardiões da galáxia, onde Castle precisa lutar mas tenta evitar na frente do bebê Thanos. Porém algo inesperado acontece: Thanos justiceiro do futuro vem até ele para o salvar.

Esse quadrinho foi um dos mais divertidos que li, além das cores serem incríveis - assim como os desenhos. Super recomendo esse para quem quer começar nas HQs, contudo, não é uma HQ muito adorada por todos - até onde vi em fóruns.

Já li e reli ele diversas vezes e vai ficar um bom tempo como um dos meus favoritos, mas claro, estou começando nesse universo e ainda há muito que conhecer! hahah



12/07/2019

Histórias em quadrinho: como e por onde começar?

Faz pouco tempo que comecei a acompanhar HQs, por conta dessa dúvida de como e por onde começar. Sempre via as histórias que me interessava, mas ficava me perguntando se não ficaria perdida. Por conta disso, resolvi trazer alguns segredos que aprendi sobre ler HQ e relevar que na verdade, não tem segredo algum! haha

Assim como séries ou sagas, há o primeiro para que venha os posteriores, e é importante certificar que está comprando o primeiro quadrinho da coleção, ainda que tenha um anterior que a complemente. O que pode acontecer é citar algo que aconteceu na antiga série desse quadrinho, mas não vai ser de grande valia como se fosse o quinto quadrinho de uma coleção, por exemplo.

Foto: Instagram
Caso seja um caso que precise ter muitas séries antigas para entender o contexto do atual, recomendo que assista videos de pessoas que já leram apenas para ter uma visão e só depois compra a versão anterior, se não, você nunca vai começar sua tão amada coleção de quadrinhos.

Então a primeira dica é simples: compre a primeira edição da história que mais te agrade.

Um segundo ponto importante é que não existe HQ apenas de heróis, então de oportunidade para outro gêneros, você pode se apaixonar.

Há muitos sites com HQs antigas e atuais grátis, onde poderá deverá-las a vontade sem precisar gastar seu dinheiro, então tente começar por lá se não está confiante nesse novo estilo de leitura, mas não tem erro!

Não há regras para ler HQ.



10/07/2019

Tag dos 50%: melhores (e piores) leituras até agora (2019)


Foto: instagram
1. O melhor livro que você leu até agora, em 2019

Every day, do David Levithan. Foi meu primeiro contato com o autor e eu amei!

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2019.

Não li muitas continuações esse ano, mas acho que a melhor que li foi Espada de vidro, da saga Rainha vermelha.

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.

Com toda certeza o meu queridinho da Darkside: Ted Bundy - Um estranho ao meu lado. Sou muito fã da coleção de crimes deles, mas estou curiosa para ler esse ainda em 2019. 

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.

Os próximos lançamentos da editora Wish, com certeza!

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.

Guia politicamente incorreto da filosofia, esperava um livro totalmente diferente por conta do titulo e da sinopse, o que acabou me decepcionando.

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.

A garota do lago, Charlie Donlea. Uma recomendação de uma amiga na faculdade, devorei ele todinho em dois dias! Muito envolvente.

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente)

David Levithan, depois que li every day e some day me identifiquei muito com o modo de escrever dele, até porque achei parecido com o John Green, que foi meu autor da adolescência ( e até hoje ).

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

Hannah, de A falsa promiscua. Por mais que ela seja meio piradinha, me identifiquei com ela em vários aspectos, acabando a ficar com um pézinho na área crush dela.

9. Seu personagem favorito mais recente.

Maven, da saga Rainha Vermelha. Desde o primeiro livro até o quarto ele é meu favorito, ainda que tenha muita gente que não goste dele, não vou dizer que adorei suas atitudes, mas há algo que me prende a ele.

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

Não teve nenhum que me fez chorar, mas Quatro vidas de um cachorro chegou bem próximo de o fazer.

11. Um livro que te deixou mais feliz nesse primeiro semestre.

The nightingale Christmas show, de Donna Douglas. Não sei se foi porque adquiri ele em meu intercâmbio e quando li me trouxe boas lembranças ou se o livro mesmo em si que me deixou muito feliz.

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2019.

Não costumo ler muitos livros que acabaram virando filme, porém, acho que meu favoritos de todos (não só 2019) foi A menina que roubava livros.

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

Minha última, afinal, comecei a fazer mais pesquisas sobre resenhas e ainda estou tentando melhora-las. 

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

Tanto pensando na capa como nos quadrinhos em si, sem pensar duas vezes:  Motoqueiro fantasma cósmico. Além do traço, as cores são incríveis, vale a pena começar a ter contato com HQs através dela, pois é muito envolvente.

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?

Um estranho ao meu lado
Você nasceu para isso
Anatomia do Mal

Fiz um TOP 3 para ficar mais fácil hahah, mas tem muitos livros na minha listinha para comprar e ler!


01/07/2019

O que eu aprendi com meu intercâmbio?


Foto: Instagram
Quando planejei fazer um intercâmbio, pensei mais em conhecer o pais que tanto amo do que na verdadeira experiência que é viver o intercâmbio. Não pensei nos medos que iria sentir, nas inseguranças, nos momentos em que eu me sentiria sozinha durante as comemorações do fim do ano, na nova cultura, nas novas pessoas. Fui pelo sonho da viagem, não vou mentir.

Contudo, hoje olhando para trás vejo que aproveitei e tive coisas incríveis mas o que menos me impressionou foi a viagem, o lugar. Acredito que qualquer lugar teria sido tão especial como esse se eu vivesse do jeito em que vive, por conta do que presenciei lá, que ninguém nunca tirará o aprendizado de mim. Não percebi naquela época que eu estava tomando a melhor decisão da minha vida, a mais inesquecível também.

No meu primeiro dia, senti perdida sem internet, sem saber onde comprar um chip, como carregar meu cartão do underground, como ia para a escola e parecia que falar com as pessoas só me deixasse confusa, por mais que entendesse o que eles dissessem. Quase voltei para casa e liguei para alguém pedindo socorro, mas foi alí que aprendi que deveria ser mais confiante, tinha apenas 35 dias naquele país e não podia desperdiçar a oportunidade. Meti a cara e fui, sem mesmo GPS, explorar Londres. E graças a essa atitude foi que tive meu segundo aprendizado: a educação e a segurança daquele país me dava mais liberdade para fazer as coisas sozinha.

No início, não gostava de puxar muito assunto, pensando que talvez se eu não entendesse algo e pedisse para repitirem achariam ruim, porém me neguei a reforçar isso em minha cabeça e fiz minha primeira amizade: duas meninas alemãs, que abriram um leque de possibilidades que me trouxeram inúmeras amizades, inclusive a Dasha e a Rebeca. Com elas, aprendi a valorizar tudo em minha volta, desde meu ar até meu conforto de estar perto de quem amo, uma delas fugia constantemente da guerra de seu país.


Foto: Instagram
Minha host mother me ensinou que deveria ser menos tímida e encarar a vida do jeito que amo encarar, sem que alguém me bloqueasse disso. Ela disse que viu em meus olhos que não conseguia ver a maldade no mundo, e por muito tempo não consegui mesmo ver a maldade. Minha host mother me ensinou tanto sobre mim, nunca pensei que eu me conhecia tão pouco.

Aprendi a amar de novo, de uma maneira diferente e valorizar cada momento. O valor do dinheiro, os cheiros, as cores, os sabores. Me ensinaram que família não é necessariamente de sangue, que um abraço vale mais do que milhões de reais.

Quando paro para pensar, posso listar muito mais do que aprendi, mas o que não preciso me esforçar para saber é que ainda há tanto para mim aprender e que nunca saciarei essa minha fome de aprender mais e mais sobre o ser humano e a vida.

Sai do Brasil odiando a vida, nem percebia o quão ingrata e egoísta era, porém voltei com vontade de fazer mais, não por mim, mas pelos os outros que não possuem nem 1% do que tenho. Penso sempre que renasci com esse intercâmbio, me questiono mais quanto o porquê estou aqui, ainda que não tenha descobrido de fato o que me move, mas isso é um processo.

O que aprendi?
Aprendi a viver.

28/06/2019

Livro: A falsa promíscua

Foto: instagram
Título: A falsa promíscua
Autora: Marina Salla
Editora: Multifoco
Ano: 2016
Páginas: 307
Sinopse: Nossa estrela ( personagem qual invadiremos as mais profundas intimidades ) é Hannah. Não podemos dizer que está no auge de sua carreira profissional, nem que é uma excelente dona de casa ou que consegue manter seu casamento sem suas...pequenas e grandes mancadas. Mas o que podemos dizer é que ela consegue ter uma boa história para contar quando se trata de superação ( sim, suas pequenas e grandes mancadas fazem seu casamento voar pela janela ), relacionamentos ( a fila anda, meu bem ) e amadurecimento, porque estamos aqui para aprender.
Também contamos com a presença de Johnathan ( o marido ) e muitos amigos e amores que estão nessa para ajudar Hannah dar um up em sua vida - ah, e um amante. 

Resenha: O livro começa com Hannah descrevendo a situação de seu casamento e porque ela acreditava que o mesmo estava fadado ao fracasso, mas ao mesmo tempo seu marido a chama e uma luz de alerta acende nela. Seria algo bom ou ruim?

Desencontrando com tudo que Hannah esperava, Johnathan vem com um assunto delicado: ter filhos. Após negar a ideia, Johnathan assume ter jogado todas suas pílulas fora, a fim de convencê-la ou na ideia de que ela acabaria por ceder, o que não acontece.

Hannah decide então entrar em abstinência e fica sem fazer sexo por semanas, afinal, mesmo se ela quisesse voltar a tomar as pílulas, agora deveria esperar até sua menstruação chegar e levaria um tempo de uma forma ou outra. O que Hannah não esperava era que conheceria um cara muito legal nesse meio tempo que mudaria todo o seu rumo.

Tyson e Hannah começam a se encontrar constantemente, até que Hannah decide que já era hora de contar para Johnathan, mesmo que isso custasse o casamento deles, ela já não ligava ( como dito no começo, a garota já não mais acreditava em seu casamento ).

Um pouco antes de contar a seu até então marido, Hannah e Tyson são surpreendidos, junto com isso Hannah ainda perde sua doce e querida avó, que fora como uma mãe para a mesma. Contudo, Hannah e Johnathan resolvem deixar o assunto da traição de lado, mas o fato de seu marido fingir que nada havia acontecido a incomodava.

Em meio de mentiras e desentendimentos, Hannah resolve usar de sua herança e largar tudo, recomeçar em um novo lugar e se descobrir, ser feliz.

Nem tenho palavras para expressar o quanto amo os livro da Marina ( e olha que não estou puxando saco ), a leitura é tão simples e envolvente! E tem mais: ela sempre trás um toque do inglês que eu acho um charme dela. Dessa vez não foi diferente, mais uma vez me surpreendeu com um livro cheio de reviravoltas e emoções, além das cenas em que me identifiquei muito.

O final do livro não me surpreendeu, no meio de tanta coisa eu confesso que esperava esse fim, apesar de não ter uma opinião sobre ele. Apesar de Hannah ser meio doidinha, toparia sair com ela para trocar uma ideia haha.