5.17.2016

Preconceito colorido (Copyright ©)



Preconceito colorido

Sempre me disseram que, quando eu realizasse meu sonho de ter cabelo colorido, as coisas não seriam tão fácies como eu esperava, porque o preconceito ainda é grande no Brasil. Porém, eu com minha vontade louca de pintar, pintei de rosa.
Já ao chegar na escola, percebi a diferença no olhar das pessoas, algumas comentavam "Quero igual!", enquanto outros me julgavam como a "revoltadinha", como se eu não pudesse fazer aquilo por apenas gosto próprio. Sem querer citar nomes, mas ainda houve um professor que fez um comentário sobre o meu cabelo totalmente sem respeito. Apesar de tudo, eu estava bem, não ligava para esses comentários, nem nada.
Então, surgiu uma oportunidade para mim fazer uma prova de emprego, da qual eu passei, mas ao chegar na hora da entrevista com um dos representantes das empresas, o mesmo me chamou num canto e perguntou: " Você vai continuar com esse cabelo ou está disposta a trocar de cor?". Pasma, eu o expliquei que o cabelo me agradava e que eu não via problema nenhum em ser uma pessoa com cabelo colorido a trabalhar numa empresa. Decepcionando minhas expectativas, ele disse que, "infelizmente", não podia me contratar e deu a desculpa de eu não ter atingido a pontuação na prova, mas que surgiriam outras possibilidades.
Sabe o mais engraçado disso tudo? Que antes dele saber como eu era fisicamente, eu tinha passado, mas agora já não tinha.
Que pais vivemos? Não dizem ai fora que somos os mais "mente aberta"? O que eu vejo por aqui é o contrário, onde temos que seguir um padrão para conseguir determinadas coisas e, por mais que digam por ai, ainda existe preconceito sim! E não é apenas um tipo de preconceito, há vários! E parece que cada dia surge mais um. Por quanto tempo vamos ter que continuar se escondendo para conseguir um emprego bom? Para entrar na faculdade que queremos?

Fonte da imagem: google

Nenhum comentário:

Postar um comentário