5.10.2016

A menina e a flor murcha (Copyright ©)



A menina e a flor murcha

Havia uma garota, tão linda e graciosa, sempre fora o orgulho de seus pais.
Havia uma flor, pequena e simples, mas para a menina era seu bem mais sagrado e assim ela passava o dia todo ali, cuidando da mesma para que ela crescesse bonita e saudável.
Os anos se passaram e a flor crescia junto com a ela, que sempre a trocava para um vaso maior, com todo o carinho que lhe podia oferecer.
"Ela passa muito tempo dentro daquele quarto", observou seu pai.
"Não há nada de errado em ela ter tanto amor pela flor", assegurou sua mãe.
Ela já não era mais uma garotinha, já estava com seus 16 anos, não tinha amigos, só sua flor.
Quando alguém veio falar com ela, seu coração disparou e assim surgiu seu primeiro amor. Eles namoraram, todo tempo que puderam, mas não durou muito, ele não admitia o cuidado com a flor. Ele vivia a questionando sobre, mas ela nada o respondia.
Eles terminaram, seu coração se quebrou e mal se concertou a tempo de ver sua flor murchar.
Ela nunca mais fora a mesma, andava até seu curso contando seus passos e todas as vezes que eles eram impares, ela voltava o percurso e o fazia novamente, tinha de ser par! A mesma coisa acontecia quando ela mastigava seu arroz com atum, que eram as únicas coisas que ela comia, se não fossem par, ela os cuspia. Mas isso não era o grande problema, ela passava seu dia todo com roupas quentes embaixo do seu cobertor dizendo coisas que ninguém compreendia, ela estava novamente sozinha.
Um dia, sua tia contou a história para uma garotinha, que ficou surpreendida pelo tão lindo amor entre a flor e a menina, mas quando ela acabou de contar a história, foi surpreendida por uma resposta que nunca esperaria: "Há uma pequena linha entre a loucura e a sanidade, mas a esperança está entrelaçada entre elas.". Onde a pequena ouvira? Ninguém sabia, mas a esperança, diferente da flor, nunca morreria.

-♥ Notas Importantes 

Eu gostaria de agradecer a minha professora de Filosofia, que deu uma grande ajuda para que esse texto pudesse ser produzido, também gostaria de deixar aos leitores uma pequena observação minha.
Para quem não entendeu, esse texto fora apenas uma metáfora para tentar explicar que algo "normal" ou "bom" pode se tornar algo mais grave com o passar do tempo, e que não se trata apenas de um texto aleatório e sim de uma história real de vida onde a garota desenvolveu a síndrome do pânico. Não se deixe levar pelos pensamentos dos outros que alegam que só acontece isso com pessoas fracas, não se trata disso! Cada um há uma capacidade de assimilar coisas, e algumas não conseguem acompanhar o mesmo ritmo que outras, que acabam se afundando quando pressionadas. Depressão, síndrome do pânico e entre outros problemas psicológicos não são brincadeira e precisam de extremo cuidado, se você conhece alguém assim, a ajude, a de apoio, não a deixe pra baixo. Infelizmente, muitos jovens passam por isso ( e não são os únicos ), então por conta disso, quis deixar esse texto para vocês como uma troca de conhecimento.
Não se apavore com seu último ano da escola, não pense que essa será sua última chance! Isso é apenas o começou, meu jovem, se não conseguir, terá o próximo ano para tentar. Não se desespere, não deixe que a pressão consuma seu corpo e destrua sua alma, tudo tem seu tempo e devemos aprecia-lo quando necessário. Não estou dizendo para que deixem tudo de última hora, mas sim que devemos nos esforçar sem deixar de viver nossa vida.
Aproveite cada dia, o céu está lindo hoje!

Fonte da imagem: google

Nenhum comentário:

Postar um comentário